A internet das coisas invadindo a privacidade

Com a internet das coisas evoluindo, você já pensou que o seu carro, equipado com computador de bordo, pode ser invadido por um hacker? Ou ainda, se você estiver usando um monitor cardíaco, ter o seu coração invadido? Pois saiba que isso já aconteceu.

A Fiat Chrysler Automobiles, há 3 anos, convocou 1,4 milhão de proprietários do Jeep Cherokee depois que hackers conseguiram assumir o controle dos veículos através do seu sistema de conectividade. Se quisessem provocar qualquer acidente, teriam tudo à disposição.

A situação da Aboott foi ainda mais assustadora, quando se viu obrigada a notificar o FDA norte-americano ao descobrir que 465 mil portadores de marca-passo poderiam correr risco de morte em decorrência da vulnerabilidade de segurança dos aparelhos por ela produzidos. A sorte foi que bastou fazer uma atualização do firmware para não haver necessidade de trocar os aparelhos.

Até bem pouco tempo a maior preocupação que podíamos ter era manter o antivírus do computador sempre atualizado. Só que não damos nem atenção aos nossos celulares que, atualmente, são tão ou mais perigosos que os computadores.

Contudo, hoje o risco está em todos os lados, seja no voicebot, na geladeira, na cafeteria, na babá eletrônica, nas câmeras de segurança, na TV, no smartwach e em qualquer outro aparelho dotado de Wi-Fi.

Imagine se os hackers conseguem invadir todos os aparelhos conectados e vigiar todos os seus passos, inclusive enquanto está dormindo? Ou seja, para se manter seguro, o único jeito é fugir de tudo o que é informatizado.

Com o passar do tempo, tudo vai estar cada vez mais conectado, monitorando e trafegando dados pessoais. Assim, se você tiver em casa esses aparelhos, qualquer hacker poderá saber onde você esteve, com quem, o que comeu e bebeu, que filme assistiu, a que horas foi para a cama e qual será sua agenda no dia seguinte.

Portanto, se você pensa que sua vida está exposta apenas naquilo que publica nas redes sociais, é bom prestar atenção. Com o desenvolvimento e adoção da internet das coisas, um mercado que vai girar pelo menos 11,1 trilhões de dólares em 2025, de acordo com o McKinsey Global Institute, sua privacidade estará totalmente exterminada.

O volume de dados trafegados por minuto na internet já é assombroso. Segundo levantamento da Visual Capitalista, a cada 60 segundos são realizados 900 mil logins no Facebook, 4,1 milhões de vídeos são vistos no YouTube, 46.200 fotos são postadas no Instagram, 452 mil tweets são publicados e 3,5 milhões de buscas são feitas no Google.

Por esses números, dá para imaginar como será dentro de alguns anos com a internet das coisas. Ou seja, não ficaremos sozinhos nem mesmo no banheiro.

Ao mesmo tempo, a velocidade da internet também será muito mais rápida, principalmente para dar conta de todo o recado. E, por falar em velocidade, se ela não está suficientemente rápida em seus dispositivos ou no seu computador, faça uma verificação e cobre de sua operadora.

Posts Relacionados