Conheça mais sobre o IPV6, a numeração mais atual do IP

Já explicamos em outro post que internet é uma rede que interconecta milhões de computadores no mundo inteiro. Também explicamos que para essa comunicação acontecer, cada dispositivo conectado precisa de um endereço único, chamado de IP (Internet Protocol). Ocorre que com o passar dos dias o número computadores ligados à internet aumentam e por conta disso, o número de endereços IP ou protocolos de internet disponíveis começam a se esgotar. É aí que entra em cena o IPV6, sigla para Internet Protocol Version 6.

Saiba mais sobre o IPV6

O protocolo de internet, IPV6, permite a criação de uma infinidade de novos endereços na rede. Desde os anos 80, este protocolo estava na sua quarta versão. Mas, devido ao crescimento explosivo da internet e a multiplicação de aparelhos que se conectam a web, o número de combinações possíveis com o IPV4 praticamente acabaram. O IPV4 suportava, no máximo, 4 bilhões de endereços IP. Já o IPV6 vai muito além e as possibilidades de combinações de números são praticamente infinitas.

O IPV6 também trouxe algumas correções relacionadas a versão anterior. Um dos mecanismos corrigidos no IPV6, deixado pelo seu antecessor, foi o IPSec (IP Security). A versão atual fornece funcionalidades de criptografia de pacotes que garantem integridade, confidencialidade e autenticidade. O grande avanço na segurança é significativo, pois com um alto número de endereços se torna inviável o uso de técnicas de varredura de IP em redes, para encontrar possíveis hots com vulnerabilidades.

Desenvolver um novo protocolo de internet não foi rápido, a ideia surgiu em 1998. A criação do IPV6 consumiu vários anos, afinal, uma série de parâmetros e requisitos necessita ser observada para que problemas não ocorram ou, pelo menos, para que sejam substancialmente amenizados na hora de ser implementado. Em outras palavras, foi necessário fazer a tecnologia do IPV4 evoluir, ao invés de criar um padrão completamente novo.

A primeira diferença que se nota entre o IPV4 e o IPV6 é o seu formato: o primeiro é constituído por 32 bits enquanto que o segundo é formado por 128 bits. Com isso, teoricamente, a quantidade de endereços disponíveis pode chegar a um número como 340.282.366.920.938.463.463.374.607.431.768.211.456, uma combinação extremamente grande. Felizmente, o protocolo de internet versão 6 pode ser “abreviado”. Isso porque números “zero” existentes à esquerda de uma sequência podem ser ocultados. O fato é que o formato do endereço IPV6 é tão grande que sequências do tipo 0:0:0, por exemplo, serão comuns. Neste caso, é possível omitir esses grupos, pois o computador saberá que o intervalo ocultado é composto por sequências de zero.

De modo geral, um endereço IPV6 faz parte de uma das seguintes categorias: unicast, multicast e anycast. Essa característica serve, basicamente, para permitir uma distribuição otimizada de endereços e possibilitar que estes sejam acessados mais rapidamente, de acordo com as circunstâncias. Entretanto, é importante deixar claro que a mudança do IPV4 para o IPV6 não vai acontecer repentinamente, isso porque roteadores, servidores, sistemas operacionais, entre outros precisam estar plenamente compatíveis com o IPV6, mas a internet ainda está baseada no IPV4. Isso significa que ambos os padrões vão coexistir por algum tempo.

Gostou de saber mais sobre o IPV6, a numeração mais atual do IP? A nossa próxima dica é bem rápida e tem a ver com a velocidade de internet. O site Minha Conexão é um portal com a maior rede de associados do país e é referência na realização de teste de velocidade nos provedores de internet. Conheça mais sobre o produto que você contratou, não deixe de conferir a velocidade de internet da sua casa sempre que possível. Faça o teste de velocidade e tenha certeza de que recebe a velocidade contratada.

Posts Relacionados