Cuidado: as gigantes da internet sabem o que você faz!

Por causa do vazamento de dados de 87 milhões de usuários pelo Facebook, sabemos hoje que não é a única empresa que coleta, processa e usa informações dos usuários em todo o mundo.

O Facebook está acompanhado de outras gigantes da tecnologia, como o Google, a Microsoft, o Twitter e a Apple, que ficam sabendo onde você anda, os lugares que frequenta e até com quem fala.

Além disso, conhecem sua opinião sobre todos os assuntos, sabendo, inclusive, sobre sua orientação sexual, e continuar refinando suas observações para conseguir definir, por exemplo, sua classe social usando detalhes como a qualidade do aparelho celular que você utiliza.

Muitos serviços são gratuitos exatamente para conhecer todos os detalhes e, assim, todo e qualquer movimento deixa rastros digitais. Essas informações que passamos sem querem podem ser classificadas em três categorias:

  • Aquelas que fornecemos ao navegar;
  • Aquelas coletadas a partir do que fazemos em serviços conectados;
  • Aquelas inferidas através das informações disponíveis.

Quando abrimos uma conta em qualquer plataforma das grandes empresas, como no Google ou no Facebook, estamos cedendo informações básicas sobre nós mesmos, como nome, endereço de e-mail, endereço residencial, número do telefone e outros detalhes.

A coleta de dados, no entanto, não termina aí. Ela continua através das informações obtidas dos aparelhos que usamos para navegar nesses serviços.

As empresas conseguem identificar onde estamos usando sensores nos aparelhos, como o GPS, ou combinando uma série de recursos, como conexão via Bluetooth, o endereço IP do dispositivo e até mesmo conexões a redes Wi-Fi ou a torres de celular. Ainda conseguem saber o modelo do smartphone, o computador ou TV utilizados, se os sistemas operacionais já foram atualizados e até a qualidade da rede móvel.

Segundo as empresas, o objetivo é permitir que algumas funções possam operar, como fornecer funcionalidades dos serviços e permitir ao usuário tuitar com sua localização.

As empresas de internet que possuem plataformas mais abrangentes, como sistemas operacionais, fazem essa coleta de forma mais ampla. O Google, dono do Android e Chromebook, sabe para quem você liga, a que horas ligou e quanto durou sua chamada.

O mesmo vale para o envio de SMS. O Facebook, por exemplo guarda todas essas informações, desde que as chamadas e SMS tenham partido de seus aplicativos.

As empresas de internet também criam uma ideia sobre os usuários analisando como se comportam em suas ferramentas.

O Facebook coleta curtidas e reações às publicações, assim como páginas que você escolhe seguir. O Google reúne, por exemplo, pesquisas feitas na internet, os endereços e trajetos buscados no Maps, as informações sobre e-mails enviados e recebidos pelo Gmail, os vídeos vistos e pesquisados no YouTube e até informações sobre as fotos guardadas em sua nuvem.

Portanto, cuidado ao navegar: se você quiser manter sua vida em segredo, utilize a internet com critério. As grandes empresas estão de olho em você!

Mas você também pode ficar de olho, principalmente no seu provedor de internet. Confira a velocidade de recepção dos dados e, se não for aquela contratada, reclame!

Posts Relacionados

Garantindo maior privacidade na internet

Autor: minhaconexao | 19 de fevereiro de 2018
Uma das maiores preocupações de qualquer usuário é a segurança de seus dados na internet. A ISOC – Internet Society, que é uma organização sem…