Pesquisa mostra que a internet é a principal fonte de informações dos eleitores

O ano 2018 foi marcado por muitos acontecimentos, principalmente na política, com o desvendamento de inúmeros casos de corrupção, de um grande número de julgamentos e prisão de políticos que, em outros tempos, se mantinham livres mesmo com envolvimento em uso indevido de dinheiro público.

A mídia costuma divulgar que os brasileiros atualmente não se interessam pela política, principalmente pelo fato de que as eleições marcadas para outubro próximo não estão causando qualquer reação.

No entanto, é importante notar que o brasileiro, na verdade, não está se interessando pelos políticos que estão ocupando o poder atualmente, já que o interesse pela política vem aumentando com o passar o tempo.

O Instituto Paraná Pesquisas recentemente realizou uma pesquisa sobre o acompanhamento da campanha eleitoral, constatando que a maior parte dos eleitores pretende acompanhar todo o movimento político pela internet. De acordo com a pesquisa, 42,5% dos entrevistados afirma que a internet será o principal meio de informação sobre as eleições de 2018.

Dos entrevistados, 36,7% preferem a televisão para se informar sobre as eleições e os jornais impressos ficaram com a preferência de apenas 6,3% dos eleitores. O rádio conseguiu a preferência de 5,6%, enquanto 3,7% ainda não sabem como acompanhar. Ao mesmo tempo, 5,1% disseram que não irão usar qualquer um desses meios de informação.

A pesquisa com respostas estimuladas foi realizada entre os dias 25 e 30 de julho, em 170 municípios nas 27 unidades da federação, reunindo um total de 2.240 eleitores acima de 16 anos de idade, sendo registrada no TSE – Tribunal Superior Eleitoral. A margem de erro, segundo o Instituo, é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

De acordo com a pesquisa, apenas na faixa etária acima dos 60 anos a TV será o principal meio de informação nas eleições presidenciais. A preferência nessa população é de 44,1%, tendo a internet e as redes sociais a preferência de 32,4%.

Entre eleitores que fizeram apenas o Ensino Fundamental, 40,4% preferem a TV, e 38,2% a internet e as redes sociais, gerando um empate técnico dentro da margem de erro.

Entre os eleitores de 45 a 59 anos, a internet e a TV também apresentam empate técnico como principal fonte de informações eleitorais. No total, 38,7% dos eleitores dessa faixa preferem a internet e as redes sociais, enquanto 37,5% prefere a TV.

Na análise dos jovens de 16 a 24 anos, a internet chega a 48,9% da preferência, a mais alta entre todos os eleitores, contra 34,9% que preferem a TV, 3,4% os jornais e 3,9% o rádio. Os que não vão usar nenhum desses meios de comunicação somaram 5% e não souberam responder 3,9% dos entrevistados.

Na análise por gênero e região do país, a internet e as redes sociais também dominam a preferência dos eleitores, seguida pela TV, pelos jornais impressos e pelo rádio.

Acompanhar as eleições é uma necessidade para todos e, portanto, se você usa a internet, procure saber com que velocidade está recebendo as informações. Isso pode ser importante para você tomar a melhor decisão em outubro.

Posts Relacionados