Curiosidades interessantes sobre o cabo de rede submarino

Pouco conhecida, a estrutura de cabos submarinos atravessa oceanos e tem grande trabalho ao levar informações importantes para os computadores de todo o mundo.

Mesmo tendo grandes desafios em seu caminho, os cabos desempenham suas responsabilidades para nos manter conectados.

Os cabos submarinos são colocados no relevo oceânico, entre estações terrestres, para transmitir sinais de rede através de trechos de mar.

Mais de 300 cabos se escondem hoje no fundo do mar e sem eles não teríamos a internet. Essa tecnologia compreende a maior parte da conexão de dados acessados hoje no mundo e o sinal da internet, telefone e celular não seriam os mesmos sem ela.

O cabo é muito bem estruturado, composto por vários cabos de fibra óptica agrupados no seu interior e revestidos por várias camadas que incluem vaselina, cobre, policarbonato, aço e polietileno. Um cabo destes não chega a ultrapassar os 3,5 cm de diâmetro.

Os cabos de fibra óptica submarinos são aplicados com auxílio de uma embarcação especialmente desenvolvida para esta colocação. A embarcação conta com aproximadamente 145 metros de comprimento e uma profundidade de 8,5 metros.

Este navio consegue acomodar 8500 toneladas de cabos de fibra óptica e conta ainda com 80 cabines e a possibilidade de operar 42 dias consecutivos em alto mar.

A velocidade de tráfego de dados é extremamente alta. Somente assim uma mensagem enviada do Brasil chegaria ao Japão de forma praticamente instantânea com serviços como Facebook, WhatsApp e outros. Atualmente a velocidade média de transmissão de dados pelos cabos submarinos é de aproximadamente 4 Tbps (terabits por segundo).

Há projetos em andamento que prometem multiplicar esse número. Vamos contar algumas curiosidades interessantes sobre os cabos submarinos agora. Veja:

1. A instalação do primeiro cabo submarino foi em 1854 e conectava a Irlanda a uma ilha chamada Terra Nova, localizada no noroeste do Oceano Atlântico. O navio que lançou a fiação foi o HMS Agamemnon. Porém, a primeira transmissão de dados foi feita apenas quatro anos depois.

2. Os cabos têm vida útil de aproximadamente 25 anos. Antes de serem instalados, os cabos passam por muitos testes e o processo de troca envolve simplesmente tirar e colocar um equipamento novo. O tipo de fibra usado hoje não será o mesmo em 25 anos e fica mais barato produzir um cabo novo do que fazer ajustes no sistema.

3. Apenas um continente não está conectado por esses cabos. Seja pelas temperaturas baixíssimas ou pela movimentação constante das plataformas de gelo, ainda é difícil conectar cabos submarinos até a Antártida.

4. Existem hoje mais de 300 cabos debaixo do oceano. Uma pesquisa feita pela TeleGeography registra 360 cabos espalhados pelo planeta. Alguns cruzam oceanos e outros seguem o litoral de vários países. No total, os cabos de fibra ótica ultrapassam 800 mil quilômetros.

Agora que já sabemos um pouco mais dos cabos submarinos e como funciona essa tecnologia interessante e essencial para nossa conexão com a rede, vamos deixar uma dica para você testar sua velocidade de internet.

O site MinhaConexão oferece testes de velocidade em tempo real e cria relatórios comparativos, é uma ótima opção para você sempre acompanhar como está o desempenho da sua internet.

Posts Relacionados