Entenda o que significa a neutralidade na internet

Nos Estados Unidos está havendo uma discussão sobre o fim da neutralidade na internet e essa discussão pode trazer reflexos para a internet no Brasil.

Segundo as notícias, existe uma pressão por parte das empresas de telecomunicações para que mudanças na gestão da internet sejam também adotadas entre nós.

O princípio de neutralidade na internet impede que qualquer operadora dê prioridade a algum cliente ou restrinja o acesso aos dados.

É uma condição prevista no Marco Civil da Internet, que está em vigor no Brasil desde 2014.

O fim da neutralidade na internet pode prejudicar os usuários, que poderiam ter que pagar para ter acesso a determinados serviços, como streaming de vídeo, que iriam depender de acordos firmados entre os produtores de conteúdo e os provedores, uma vez que, assim, não seriam obrigados a dar o mesmo tratamento a quem não é seu cliente direto.

Entendendo o que é neutralidade na internet

Para entender melhor o que é neutralidade na internet, podemos imaginar a rede mundial como um conjunto imenso de estradas, por onde trafegam pedaços de informação em vez de veículos, ou seja, os pacotes de dados.

O princípio da neutralidade na internet prevê que todos os pacotes devem trafegar em condições iguais, sem qualquer tipo de bloqueio ou faixas preferenciais.

A neutralidade será quebrada quando, por exemplo, um administrador da estrada, que, nesse caso, é um provedor de internet, resolve que um determinado pacote não pode trafegar pela rede, já que não é de seu interesse aquele pacote circulando por aí.

Ou então, pode ocorrer o contrário: um provedor pode resolver que alguns pacotes de sua responsabilidade podem trafegar mais rápido, desde que receba uma taxa extra por isso.

Na prática, a eliminação da neutralidade na rede vai fazer diferença na vida do usuário. Sem essa neutralidade, uma operadora pode fazer um acordo com qualquer serviço de streaming de vídeo, por exemplo, para garantir que seu conteúdo terá preferência na internet.

Vai cobrar mais por isso e esse custo pode ser repassado para o consumidor.

Os especialistas em internet alertam para os riscos da eliminação da neutralidade na internet com esses tipos de acordo, principalmente nesse momento em que existe uma verticalização no setor, ou seja, os provedores estão buscando estabelecer parcerias com produtoras de conteúdo.

Um bom exemplo disso foi a compra da Time Warner pela operadora AT&T, por mais de 80 bilhões de dólares, que ainda está em análise pela Justiça dos Estados Unidos.

Mesmo havendo pressão das empresas, no entanto, ainda não existe nenhuma movimentação para alterar a neutralidade na internet no Brasil. Sempre houve cobrança por parte das operadoras, mas o governo não se mostra disposto a rever o decreto ou apoiar qualquer tipo de iniciativa nesse sentido.

Nos Estados Unidos, a expectativa é que a FCC – Comissão Federal de Comunicação acabe com a neutralidade na internet ainda em dezembro, e a mudança pode criar um debate no Brasil, que poderá gerar uma mudança no Marco Civil da Internet.

Sempre verifique testar a velocidade da sua internet para saber se o seu contrato está sendo cumprido.

Posts Relacionados