É bem possível que você já tenha ouvido falar sobre cabos submarinos de transmissão de dados. Esses cabos fazem parte de uma rede de fibra ótica interligando cidades, países e continentes, passando pelo fundo do mar.

O Brasil também possui diversos cabos submarinos de internet, sendo que o mais recente foi inaugurado este ano. É o South Atlantic Cabes System, ou SACS, que liga Fortaleza, no Ceará, a Sangano, na Angola.

Para os próximos meses está também previsto o BRUSA, um cabo ligando Fortaleza a Virginia Beach, nos Estados Unidos, passando antes por San Juan, em Porto Rico.

Os cabos permitem um maior volume de informações do que os satélites é o principal resultado disso é que a conexão entre pontos distantes se torna mais rápida. O caminho da conexão cabeada também é mais curto, já que os dados não precisam ir até os satélites para atingirem os pontos de conexão, não sendo atingidos também pelas condições climáticas.

No entanto, a existência dos cabos submarinos não quer dizer que você terá melhoria imediata na velocidade de sua internet. Essas novas conexões não são destinadas ao consumidor final, servindo somente para desafogar as rotas de informações já existentes e conectando as operadoras, que passam a ter uma banda de conexão maior para explorar.

Ou seja, são as operadoras que decidem como a existência dos cabos submarinos vai afetar o consumidor final. Assim, não é o fato de uma operadora ter comprado uma banda maior em um novo cabo submarino, que ela irá oferecer maior velocidade para seus clientes.

Contudo, é bom saber que esse tipo de conexão é essencial para que as operadoras possam oferecer melhores serviços e novos pacotes aos assinantes.

Por outro lado, o usuário final poderá se beneficiar desses cabos submarinos de outra forma. As novas rotas de informações criam caminhos mais rápidos entre pontos de trocas de dados, um fato que otimiza as conexões, ajudando a reduzir a latência.

A latência não é nada mais do que o tempo necessário para que um pacote de informações siga até o servidor e retorne ao remetente. Quando maior for o trajeto percorrido, mais tempo será necessário para que as informações possam ir e voltar.

Um bom exemplo disso é o famoso ping dos jogos online. Quanto maior for o espaço, mais tempo uma ação de comando do jogador irá demorar para ser refletida no game. Usuários que jogam games de tiro, por exemplo, provavelmente tenham experimentado uma situação em que, mesmo ele tendo a sensação de ter atirado antes, sua ação ocorreu depois da ação do inimigo, eliminando o seu lutador.

Além da redução da latência, uma infraestrutura de internet mais eficiente também ajuda a melhorar a velocidade de downloads, já que há mais opções de caminhos para os dados, aumentando, dessa forma, também os serviços de streaming.

Procure notar no seu computador a velocidade com que está recebendo os dados, lembrando, mais uma vez, que você possui um contrato com sua operadora de internet que deve ser respeitado.